Arquivo mensal: junho 2014

cleverbox

linhares

Zona de rede livre gerada na exposição VERaCIDADE com o CleverBox, Linhares-ES.

CleverBox é uma apropriação do LibraryBox , projeto desenvolvido por Janson Griffey, um professor universitario e pesquisador norte americano. O projeto está registrado como Criative Commons e disponível para uso e desenvolvimento. A ideia é criar uma rede local sem fio para lugares onde não há internet. O dispositivo é móvel e gera uma nuvem móvel de conteúdos que podem ser acessados e compartilhados entre os que estiverem conectados nesta rede

O dispositivo  facilita o acesso a conteúdos variados e a aproximação de educadores e estudantes com a tecnologia digital. A adaptação inclui novas funções e tradução para o português do material original. A equipe envolvida oferece orientação e suporte presenciais e online para seu uso.

Como funciona

Atualmente o CleverBox está na versão 1.0 beta, que possibilita montagem e compartilhamento (via download) de conteúdos nos formatos imagem, texto, doc/pdf, vídeo e áudio, que são organizados em uma biblioteca virtual. Além do compartilhamento, o CleverBox 1.0 beta oferece chat. Subir materiais (upload) e organizar a biblioteca só pode ser realizado pelo administrador do ambiente. Estamos trabalhando para unir as duas funções num só dispositivo.

O conjunto é composto por um TP Link MR3020 modificado, um pendrive de 16 GB SanDisk e um carregador de bateria solar. O TP Link pode ser ligado em qualquer tomada elétrica.

Muitas utilidades

O dispositivo pode ser usado como suporte tecnológico nas seguintes  atividades e você pode inventar outras mais:

– Em projetos educativos como biblioteca de conteúdos em diversos formatos.
– Em situações de emergência com documentos e orientações específicas.
– Em trabalhos de campo.
– Em palestras para compartilhar material apresentado.
– Em reuniões para compartilhar documentos e materiais em vários formatos.
– Em projetos de estímulo à leitura, como uma biblioteca volante.
– Em todo as atividades em que for necessário transportar e compartilhar documentos digitais e não disponha há de internet.
– Em intervenções nos espaços urbanos e rurais.
– Em exposições culturais.
– Em cursos e oficina como biblioteca de textos, testes e registro de atividades.

Quer um? Entre em contato: viviamaralsp@gmail.com

projeto gift

gentilezaO projeto GIFT, uma exploração conjunta da SINAPSE e HABISFERA S.p.A ( e rede de amigos) investiga, desenvolve e dissemina suportes tecnológicos para interações culturais inspiradas no conceito de Dádiva (conforme Lewis Hyde).  A iniciativa se interessa pela disseminação livre e distribuída de informações, compartilhamento e cocriação de conhecimento.

Os princípios do projeto são:

1 – O que é bom é dado em retribuição.
2 – O “gift” pertence ao fluxo.
3 – Possuir é dar.

Como acontece

Estamos utilizando  o CleverBox (LibraryBox)  como um dos dispositivos tecnológicos do projeto. Com ele,  é possível consultar  e fazer downloads de arquivos do acervo, chats e futuramente, uploads de arquivos em diversos formatos.

Participamos de ações de ocupação de espaços públicos, em eventos, feiras, escolas, palestras com a geração de uma zona wifi aberta, com chat e acesso a bibliotecas temáticas, com conteúdo em vários formatos e que podem ser baixados por qualquer pessoa que tenha um equipamento com wifi e se conecte  na nossa rede.

Fotos do uso da rede wifi em duas exposições: VERaCIDADE, em Linhares ES e Síria: civilização e história, no Centro Paula Souza, em São Paulo – SP

gift

parcerias: zona sanguessugavírus no VERaCIDADE

Projeto em parceria com o Instituto Rosa Pattaro, explorando  as potencialidades do CleverBox no projeto VERaCidade, na escola CID Adalberto dos Reis, em Linhares-ES,  criando a zona sanguessugavírus  com a caixinha esperta.

Em 17 de junho, no lançamento da exposição VERaCIDADE, geramos  a Zona Sanguessuga Vírus no Centro Cultural Nice Avanza, em Linhares – ES.  Zona Sanguessuga Vírus é o nome que os estudantes que participaram do projeto deram à rede sem fio gerada pelo CleverBox.

linhares

parcerias: Eu aqui e você ai:: visualidades

parcerias: Eu aqui e você ai:: visualidades

Projeto em desenvolvimento coma educomunicadora Tatiane Pataro, no âmbito do mais educação, em escolas públicas,  propõe explorar a função social e educativa da fotografia. As vivências fora da escola expandem o olhar mediado pela fotografia, escrita, leitura visual e textual de forma ativa, na qual o mundo se revela sob o olhar de quem o observa e, na recepção do material, no olhar de quem recebe a imagem e o texto. Estas representações e sentidos criados a partir dos materiais trocados vão alimentar a interação na rede de estudantes participantes do projeto.

moocs e distância transacional

Desde as teorias de Piaget e principalmente de Vigotski, o aspecto interativo e o valor da interação com os outros no processo de aprendizagem tornaram-se aspectos centrais nas propostas pedagógicas e instrucionais. No entanto, apesar da tese aceita que “o processo de aprendizagem é definido pelo ambiente de aprendizagem”, e do reconhecimento da interação social como elemento essencial na construção do conhecimento, os ambientes de e-learning ainda não conseguiram, em sua maioria, explorar amplamente esta abordagem em seus projetos.

Para fazer a análise solicitada numa disciplina do curso “Tecnologias na aprendizagem” (EAD SENAC) escolhi dois recursos – Fórum e Anotações –  de  um sistema brasileiro de oferta de cursos no estilo MOOCs, o Veduca. A situação de aprendizagem, podemos dizer “a aula”, consiste basicamente em assistir vídeos.

ambiente

Ambiente de aprendizagem do Veduca.

Fórum

O recurso mais interativo existente, o Fórum, apresenta algumas características que prejudicam, mas não obstruem o fluxo da interação. Os problemas identificados ali ocorrem em muitos dos fóruns de AVAs, principalmente porque não é dada a devida importância ao impacto negativo da configuração do ambiente, que é feita também pelo design de interface e não só pelas relações entre as pessoas, interação com o conteúdo e regras de uso. Considerando que a interação mútua ocorre como um fluxo (que pode ser síncrono ou assíncrono devido a sensação de continuum comunicacional que a conectividade a interatividade criam) detalhes como os identificados podem desestimular a comunicação e diminuir a interatividade, já que impactam na interação.

forum veduca

Fórum.

Pelo design da interface, a área do Fórum ficou estreita na tela. As postagens ficam compridas e estreitas, o que não é tão confortável para leitura. Não é permitida a edição do texto depois de postado, o que é limitante do ponto de vista da clareza da comunicação. Como a interação e a colaboração, são muitas vezes um impulso, e é comum cometermos erros de digitação, gramática e sintaxe, ficar com o texto errado pode ser constrangedor e limitante. A opção de escrever num doc para poder revisar e depois colocar no fórum, corta o fluxo da interação, sua naturalidade. Não poder apagar a postagem é outro fator limitante e restringe a liberdade do usuário sobre sua produção.

Em relação à posição do Fórum no ambiente, se fosse colocado abaixo do vídeo, um espaço que está vazio,  ele seria mais confortável e estimularia a interação com mais força. Nesta posição a leitura das postagens ficaria mais confortável.

As postagens feitas não aparecem na caixa de entrada de seu e-mail. Não sei se quando há resposta ao tópico que você postou elas aparecem, pois ninguém respondeu ainda à postagem que fiz. Aparecer poderia ser uma opção de configuração, pois isso facilitaria manter a interação e atrair o estudante para a plataforma novamente.

Não há a possibilidade de fazermos “amigos” nem de compartilhar as anotações, o que poderia tornar a aprendizagem mais social e interativa. A configuração não possibilita que se formem comunidades de aprendizagem, não é possível a percepção de se estar pertencendo a uma comunidade. É possível compartilhar no Facebook e no Twitter, mas isso leva a interação para fora do ambiente da plataforma educativa.

Anotações

anotaçoes

Anotações.

O recurso Anotações facilita a aprendizagem do conteúdo por meio de registro de notas, mas não é propriamente interativo. Se fosse possível compartilhar as anotações com as outras pessoas que estão fazendo  o curso, poderia ser um bom apoio e pretexto para a interação. As anotações poderiam ser um importante disparador de transações para construção social de conhecimento. Mas o recurso não  permite compartilhamento nem exportação. Além disso, só é visível e acessado quando não estamos com a tela cheia,o que diminui seu valor como suporte ao aprendizado. Se é possível, não consegui descobrir como.

Reflexão

Como num MOOC não há colegas no sentido tradicional da expressão, nem moderador/facilitador e , no caso analisado, não podemos compartilhar conteúdo produzido pessoalmente, a distância transacional é enorme.  Ela é uma  distância pedagógica, cognitiva e social que existe entre professor e aluno  e influencia a eficácia e eficiência da aprendizagem. Como Michael G.Moore demonstrou, quanto maior a distância transacional maior a necessidade de que o aluno seja um sujeito autônomo.

Considerando que a autonomia como atitude é uma novidade cultural na história da Educação, que durante muito tempo valorizou a obediência e a aprendizagem passiva como comportamentos positivos, é possível que esteja aqui, uma das explicações para as dificuldades que os MOOCs enfrentam como sistema de aprendizagem, pois são idealizados para um tipo ideal de estudante que ainda está se constituindo culturalmente: o aluno autônomo, aquele que, segundo Robert Boyd “pode abordar assuntos diretamente sem ter adulto participando de um conjunto de papeis de mediação entre o aluno e o conteúdo”.